sábado, 8 de outubro de 2016

"Existe Algo de Bom nos Homens?" - Parte IV

Contrapesos


Quando você pensa sobre isso, a ideia de um gênero ser totalmente melhor que o outro não é muito plausível. Por que a natureza faria um gênero melhor que o outro? Evolução seleciona características boas e favoráveis, e se existe outra maneira boa de ser, após algumas gerações todos serão dessa maneira.

Mas evolução preservará diferenças onde há contrapesos: quando uma característica é boa para alguma coisa, enquanto seu oposto é bom para outra coisa.

Vamos retornar às três principais teorias que temos sobre os gêneros: homens são melhores, não há diferença, mulheres são melhores. O que estamos deixando passa desta lista? Diferentes mas iguais. Me permita apresentar uma teoria rival que merece ser considerada. Eu penso que ela é de fato a mais plausível. Seleção natural preservará diferenças inatas entre homens e mulheres à medida que as diferentes características forem benéficas em diferentes circunstâncias ou para tarefas diferentes tarefas.

Exemplo de contrapeso: afro-americanos sofrem de anemia falciforme mais que caucasianos. Isto surge devido a uma vulnerabilidade genética. Este gene, porém, promove resistência à malária. Pessoas negras desenvolveram-se em regiões onde a malária é uma majoritária causa mortis, então era vantajoso ter este gene apesar do aumentado risco de anemia falciforme. Brancos evoluíram em regiões mais frias, onde havia menos malária, e portanto o contrapeso foi resolvido diferentemente, evitando mais o gene que prevenia malária enquanto arriscando anemia falciforme.

A abordagem dos contrapesos traz à tona uma teoria radical de igualdade de gêneros. Homens e mulheres podem ser distintos, mas cada vantagem pode estar ligada a uma desvantagem.

Portanto, sempre que você ouvir um reporte de que um gênero é melhor que outro, pare e considere por que isto tem mais chances de ser verdadeiro - e para o que a característica oposta pode ser boa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário