sexta-feira, 23 de setembro de 2016

"MGTOW - Um Boicote às Mulheres" por Observing Libertarian

MGTOW - Um Boicote às Mulheres






Eu estava discutindo com um cara hoje sobre MGTOW.

Ele fez a afirmação de que eu sou um misógino que espalha retórica anti-mulher. Então eu o desafiei a encontrar qualquer coisa que eu tenha alguma vez dito que fosse anti-mulher. Recentemente minha tia tem estado preocupada comigo também; ela é um pouco inconstante mas seu coração está no lugar. Ela está bem, eu sei disso.

Ele veio com uma coisa que eu disse, "mulheres não valem meu tempo", ao que respondi assim.

E de fato não valem; isto não é porque eu as odeio. Assistir a filmes também não vale meu tempo, isto quer dizer que odeio cinemas, teatros, atores, atrizes, pipoca e balinhas?

Não, isso quer dizer que eles não valem meu tempo, meu dinheiro, meu esforço. Qual a progressão lógica de incomodar-se? Sair, gastar dinheiro, encontrar uma garota, papear, pagar drinques - opa, não pode fazer nada até ela ficar sóbria de novo, senão é estupro. E então, encontrar com ela de novo, sair para se conhecer, talvez ter um momento legal [1]. Talvez comecemos a nos conhecer melhor, talvez não.

Repito o processo até encontrar uma garota que realmente queira conhecer melhor [2]. Começamos a sair, isso dura algum tempo mas vamos começar a viver juntos ou acabar rompendo depois? As chances são de rompimento. Repito os processos 1 e 2 até encontrar uma mulher para viver junto [3]. Beleza. Vamos nos casar? É provável que não. Repita os processos 1, 2 e 3 até que achemos "A Mulher Certa". E agora, o que acontece? A porcentagem de separação está em 50% - chances são de divórcio.

Então o quê? Perco metade mo meu patrimônio, provavelmento sou forçado a ir para um apartamento que eu tinha desde antes de conhecê-la e há uma grande chance de que eu tenha que pagar alimônia. O que significa que agora eu vivo em servidão, pagando tributo a uma rainha que nunca concordei em servir. Oh, sim - parece fantástico! Me explica, por que, qualquer dessas coisas, vale minha perda de tempo? Não é que eu odeie mulheres; é que o jogo já está com as cartas marcadas, e não existe posição favorável envolvida.

Não há objetivo algum exceto esperar que após o casamento ela não me atire do penhasco. Este é o ponto da coisa toda. Este é o único final feliz possível: eventualmente encontrar alguém que não esteja disposto a puxar o gatilho da pistola apontada na minha testa. Parece adorável, pra caralho!

O jogo é viciado, as cartas estão dadas. É uma completa perda de tempo e uma imensa perda de dinheiro. E eu não sou o único que pensa assim: pela primeira vez na história deste país, há mais adultos não casados do que casados. Então está bem claro que eu não sou o único que acha que o processo todo é perda de tempo. Todos os processos 1, 2, 3, e enfim o casamento, processo 4, apenas para ser mantido na mira da bala o tempo inteiro. Aparentemente isto não parece convencer um monte de outras pessoas além de mim.

Nós solteiros somos maioria neste país. Claramente há algo errado com o processo, porque essa é a primeira vez que esse tipo de coisa aconteceu nos úlimos 238 anos.

Nada no evento leva em conta o quão mal as mulheres tratam os homens em relacionamentos hoje em dia.

O que é mais comumente horrível. Elas constantemente insultam e censuram os homens com quem estão. É comum, elas não pensam nada em tratá-los com toda descortesia possível. Elas tratam seus parceiros homens pior que a completos estranhos. Se uma mulher tratasse uma colega de trabalho da mesma forma que mulheres tratam seus parceiros, elas seriam demitidas por hostilidade no local de trabalho.

E elas não pensam nada sobre isso. Como homem, você tem que simplesmente ignorar. Insultado, degradado em conversas, sendo aviltado na frente dos amigos dela, sendo destratado na frente dos seus próprios amigos, e o que se espera é que você ignore e lide com isso.



Eu tenho uma leve sugestão: me deixa sozinho nessa merda. A coisa toda não vale meu tempo, e qualquer um que espera poder me tratar como lixo e pensa que não vou fazer nada? Sendo bem grosso: eu não sirvo para você. Nenhuma migalha vale ser tratado de forma tão miserável.

Eu jamais bati numa mulher com quem estive junto, jamais forcei uma mulher com quem estivesse junto a nada, jamais conduzi atividade sexual sem consentimento. Eu faço coisas legais, compro alguma coisinha porque penso que vai ser um bom gesto. Dou café da manhã na cama quando ela dorme em casa num dia de folga.

Certa vez ganhei uma moral numa maratoma noturna. Eu estava indo pro terceiro bar, o lugar me chamava escandalosamente. Eu estava em 5 doses duplas à tardezinha (sou russo-irlandês, era só khahua, 20% não bastam para ficar bebum), liguei para minha namorada à época, deixei um recado na caixa de mensagens: "Oi, querida; estou tendo uma noite ótima; bebi cinco doses, estou rodeado de mulheres bonitas e só pensando em ti; queria que estivesses aqui comigo; te vejo depois!" Ela me mandou uma mensagem de texto uma meia hora depois, como ela estava sentada com as amigas desmaiando na mensagem que eu mandei.

Ela teve uma dor de estômago antes, eu fiquei sentado no chão junto a ela enquanto ela estava no sofá, e gentilmente acarinhei seu abdômen até ela se sentir melhor. Seu xampu natural costumava embaraçar seu cabelo, então fiquei por detrás no sofá penteando-a com meus dedos para não fazer nós. Eu sou um cara legal, e eu sempre tratei mulheres excepcionalmente bem.

Das mulheres com quem me relacionei, o que infelizmente são muitas, apenas tive duas que não me trataram comom lixo. Então, mesmo se um cara legal como eu dificilmente é bem tratado, algo está desesperadamente errado.

Então sim, eu não odeio mulheres, jamais odiei. Elas apenas não valem meu tempo dado que tão poucas delas estão dispostas a me tratar como ser humano. Se o casamento não fosse um golpe extorsivo, e mais mulheres de fato dessem aos homens qualquer semelhança de cortesia comum - eu não teria jogado a toalha.

Há apenas quatro coisas que uma mulher pode prover a um homem:
  1. Um lar: Cozinha, limpeza, etc. Isto é um lar. Mulheres não gostam de ser domésticas hoje em dia, muitas delas nem sabem cozinhar afinal. Tudo bem, todo mundo hoje em dia tem que trabalhar, sem problemas. Eu entendo perfeitamente. Sem problemas. Eu posso cozinhar, eu sou bom nisso. Minha mãe me ensinou a cozinhar, para que eu não dependesse de mulher. Obrigado, Mãe!
  2. Companhia: Se ela te trata decentemente... não fica constantemente fazendo e dizendo coisas ruins ou degradantes para você só porque ela pode. Caso contrário, não é companhia. É viver com uma imbecil de colégio que não saiu dessa fase ainda. Se ela não te trata com cortesia mas em vez disso é rude, rancorosa, odiosa ou desprezível contra você, de forma regular, por que ainda vai querer estar junto dela? Eu não quero estar próximo a alguém que será desrespeitosa comigo; por que eu iria querer isso? Isto não faz sentido nenhum afinal
  3. Sexo: o que mulheres estão convictas que todos os homens estão motivados. Pessoalmente não iria querer ter sexo com alguém que não gostasse, veja o quesito acima. Lembre-se, quando uma mulher não quer sexo, é esperado apenas que você lide com isso. Se, porém, um homem não quer sexo, é considerado abuso. "Recusar sexo". Que merda...
  4. Filhos: eu não quero filhos. Bendito seja se você quer, boa sorte com isso. Só mais alguma coisa para ser usada contra você no divórcio.

Então é isso. Não existe nada que uam mulher possa oferecer de valor exceto companhia e sexo. Sexo, eu particularmente não me preocupo, e companhia requeriria uma mulher que não me insulte e me degrade o tempo inteiro. Eu encontrei somente duas em meus casos. Ambas tornaram-se relacionamentos de longa duração, ambos eventualmente terminaram. Diferentes razões, sem amargura. Ainda temos contato, nos falamos ocasionalmente.

Porém, falando de modo geral: mulheres não valem meu tempo. Não quer dizer que eu odeie mulheres - apenas que eu não estou interessado nelas. Feministas têm dois importantes slogans: "seu corpo, suas regras", e "Ela não te deve nada". Bem, isto vale para ambos os lados: "Meu corpo, minhas regras; Eu não devo nada a você".

Até que o casamento não mais seja uma extorsão legalizada, e ou até mulheres entenderem que é inaceitável tratar seus companheiros como lixo descartável, eu não vou interesar-me. Simples assim.

Agora, por que penso que casamento é extorsão? Simples:

Casamento tornou-se uma extorsão legalizada.

"Extorsão: a obtenção de propriedade alheia induzido por uso indevido de força real ou ameaça de força, ou medo, ou sob a aparência de um direito oficial".

Invalidação de acordos pré-nupciais + divórcio sem falhas = confisco de patrimônio + alimônia.

Atualmente na América, casamento é idêntico à definição legal de extorsão. É "a obtenção de propriedade alheia induzida ... sob a aparência de um direito oficial". O sistema legal tem sido manipulado para tornar o casamento a definição legal de extorsão. Sem mais, nem entretantos, ou porquês sobre isso. É, por definição legal estrita, extorsão.


Mulheres podem de fato invocar processos de alimônia contra homens com quem tenham coabitado sem ter com eles casado. "Casamento consuetudinário", varia de estado para estado, mas a possibilidade existe. Se um homem está em um relacionamento de longa duração e vivendo com uma mulher, no estado errado, após romperem, ele pode ser obrigado a pagar alimônia a uma mulher com a qual ele não concordou em casar.

A única forma de sobreviver a esse jogo é recusando-se a jogar quando as chances estão desfavoráveis.

Me perdoem, moças, vocês não valem meu tempo, esforço, dinheiro, ou riscos potenciais. É um cálculo de cursto-benefício, e vocês não estão no azul; vocês são um enorme revés.

Violência Doméstica


Pesquisadores do CDC descobriram fatos interessantes quando examinaram seus próprios dados.

O estudo, pelos pesquisadores do CDC Daniel J. Whitaker, PhD, Tadesse Hailyesus, MS, Monica Swahn, PhD e Linda S. Saltzman, PhD, descobriram um total surpreendente: 70% dos casos de violência não-recíproca foram perpetrados por mulheres.

Os pesquisadores estudaram 11.370 jovens de 18 a 28 anos que tem estado em um total de 18.716 relacionamentos heterossexuais. Eles descobriram que uns 50% dos casos de violência íntima entre parceiros era recíproca, o que eles definiram como "perpetrada por ambos os parceiros", e 50% era não-recíproca. Casos de mulher violenta e homem não violento computaram 70% dos casos não-recíprocos, Enquanto casos de homem violento e mulher não violenta computaram 30% dos casos não-recíprocos. Portanto:

50% de todos os casos de violência íntima entre parceiros em casais heterossexuais envolve violência de ambos os parceiros

35% de todos os casos envolvem uma mulher violenta e um homem não violento

15% de todos os casos envolvem um homem violento e uma mulher não violenta

Mulheres são duas vezes tão violentas em relacionamentos, e mesmo assim temos o Violence Against Women Act e a "política do agressor predominante". Você pode escancaradamente abusar de um homem, incluindo mental, emocional ou até mesmo fisicamente, e se ele te revidar, uma só vez, como resposta a qualquer coisa que não seja um risco à vida, ele vai para a prisão.

Estupro


De acordo com Hanna Rosin em "When Men Are Raped":
Os dados ainda não foram calculados de acordo com a nova definição do FBI, mas Stemple analisa diversos outros estudos nacionais no seu novo artigo, "The Sexual Victimization of Men in America: New Data Challenge Old Assumptions", coautorado com Ilan Meyer e publicado na edição de 17 de abril do American Journal of Public Health. Uma dessas pesquisas é a National Intimate Partner and Sexual Violence Survey de 2010, para a qual o Center for Disease Control inventou uma categoria de violência sexual chamada "sendo levado a penetrar". Esta definição inclui vítimas que foram forçadas a penetrar algúém com suas próprias partes corporais, seja por força física ou coerção, ou quando a vítima estava bêbada ou drogada ou de alguma outra forma impossibilitada de consentir. Quando estes casos são levados em conta, as taxas de contato sexual não-consensual basicamente se equalizaram, com 1,270 milhões de mulheres e 1,267 milhões de homens afirmando serem vítimas de violência sexual.

Eu trato disso em detalhes no meu artigo Cultura do Estupro. Você pode seguir o link para detalhes sobre o tópico. O ponto de eu adicionar isto aqui é dissipar algumas das narrativas de ameaça das feministas acerca dos homens. Eu, porém, incluirei o trecho a seguir sobre por que os dados reportados do CDC sobre o número de homens sendo estuprados parece tão enviesado a favor da vitimização feminina:

Temos a Mary P. Koss - você sabe, da estatística mentirosa do "1 em 4" - para agradecer por ter adicionado "levado a penetrar" à lista de classificações da pesquisa acima do CDC. Ela influenciou o CDC a excluir vítimas homens de predadoras mulheres da classificação de "estupro". Agora se você perguntar a uma pessoa comum "se você fosse levada a ter sexo com alguém sendo fisicamente forçada, ou com uma pistola/faca, coagido por ameaças de violência, ou estando inconsciente, sedado com um boa-noite-cinderela, em coma, ou qualquer outra forma de incapacitação pela qual você é incapaz de prover consentimento ou a atividade sexual é realizada diretamente contra sua vontade, isto seria estupro?", a vasta maioria das pessoas diria que sim, é estupro. Em qualquer momento que alguém conduz sexo contra seu consentimento ou enquanto você é incapaz de prover consentimento, é estupro.

Mas não de acordo com o CDC. Devido às ações tomadas por Koss, "levado a penetrar" foi criado a fim de que homens vítimas de mulheres predadoras pudessem, por definição, serem excluídos da classificação de "vítimas de estupro". Portanto ela pode promover estatísticas feministas sobre mulheres vítimas de estupro, enquanto exclui completamente figuras de homens sendo estuprados por mulheres.

De acordo com o CDC, um homem não pode ser estuprado por uma mulher mesmo que seja fisicamente forçado, intoxicado, inconsciente, dopado, ou de quaisquer outras formas incapacitado por quaisquer outros meios. Por definição legal, ele não pode ser estuprado por uma mulher - não importa o que ocorra. Em vez disso, o caso é referido como "levado a penetrar" e portanto constituído como uma forma de violência sexual, mas não estupro. 


Homens são estuprados com tanta frequência quanto mulheres, e as definições foram mudadas para que estatísticas fictícias não mostrem tal fato. Então, não apenas homens são injustamente encarcerados e processados mediante o uso da política do agressor predominante enquanto mulheres são duas vezes tão violentas, mas também homens são estuprados por mulheres tão frequentemente quanto a situação reversa. Temos um Violence Against Women Act, que não estipula nenhuma proteção aos homens. Somos vitimizados tanto e até mais que mulheres, e as mesmas proteções legais não nos são estendidas. Moças, é isto que vocês desejam para teus irmãos e primos? É nesta sociedade que vocês querem que teus filhos cresçam? Se não, auxiliem-nos.

Também, moças, isto foi somente sobre encontros e coabitação. Homens estão em perigo a cada momento que sequer falem com vocês. Sim, sério.

stopstreetharassment.org

"Visão geral: assédio de rua é qualquer ação ou comentário entre estranhos em locais públicos que seja desrespeitosa, indesejável, ameaçadora ou assediadora e seja motivada por gênero ou orientação sexual ou expressão de gênero.

"Tipos: podem ir desde olhares, assovios, buzinadas, barulhos que imitam beijo, policiamento de gênero, e comentários de avaliação não sexualmente explícitos, até comportamentos mais ameaçadores e insultantes, como gestos vulgares, comentários carregados de sexualidade, nudez explícita provocativa, perseguição até mesmo ações ilegais como masturbação pública, toques sexuais, assalto e assassinato.

Assédio de rua baseado em gênero pode interseccionar-se com racismo, homofomia e transfobia, classismo, e/ou capacitismo (como explorado no Capítulo 3 do livro Stop Street Harassment) para criar um assédio multicamadas.

Um homem parar para dizer "Ei, você está bonita hoje" é assédio de rua sob o rótulo de "comentários de avaliação não sexualmente explícitos".

Que coisa! "Comentários de avaliação não sexualmente explícitos": Homem A observa Mulher B fazer baliza em uma vaga bem apertada e está genuinamente impressionado. Mulher B sai do veículo e Homem A comenta "A competência demonstrada pela sua manobra foi particularmente excepcional e denota um grau de destrezamuito superior ao de um motorista comum - parabéns, moça!". Mulher B denuncia Homem A, apontando enfaticamente com o dedo: "Isto é assédio de rua!".

Elevatorgate


Em julho de 2011, Rebecca Watson, fundadora do website Skepchick, mencionou num vlog uma experiência que teve numa conferência recente. Um homem a abordou num elevador e a convidou para seu quarto no hotel para conversarem sobre o café. O convite deixou Watson desconfortável, e ela sugeriu à sua audiência que eles não dveriam agir daquela forma. Como isto foi uma nota num vídeo mais longo sobre a conferência, ele passou desapercebido, exceto por outras duas mulheres ateístas que discordaram de Watson e acreditavam que o comentário do homem não foi agressivo, e tudo isso acabou evoluindo para a típica discussão horrenda de comentários no Youtube. Mesmo isso não fez ninguém se preocupar.

Uma semana depois, durante a apresentação de uma conferência no Center for Inquiry, Watson discutiu a reação a seu vídeo, citando alguns comentários alarmantes e e-maisl dirigidos a ela. PZ Meyers, amigo de Watson, mais tarde defenderia Watson, argumentando em uma postagem de blog que os insultos e estigmas dirigidos a Watson eram evidência de sexismo dentro da comunidade ateísta.

A sequência de comentários da postagem estava cheioa de histeria e trollagem, quando Richard Dawkins decidiu comentar com uma peça encabeçada "Cara Muslima". Dawkins acusou Watson de hiper-reação, comparando sua experiência com aquela das mulheres forçadas a vestir burcas ou submeter-se a mutilação genital (um clássico exemplo da falácia não-é-pior-que).

Dawkins identifica-se como um forte adepto dos direitos das muheres e é um sonoro oponente do tratamento dado às mulheres pela religião; porém, seus comentários trouxeram a ira de muitos do movimento ateísta.

As coisas no geral recaíram daí, com alguns dos defensores de Watson repetidamente chamando Dawkins de misógino. Um monte de grandes nomes, tentando exibir suas credenciais, veio em apoio ou de Watson ou de Dawkins. A opinião dos peões menores era mista, e por muitas vezes bastante sexista. Todos concordaram se tratar de uma hiper-reação, mas culparam o outro lado.

Em uma mostra de boa-fé, Dawkins desculpou-se pela postagem "Cara Muslima" de passagem em outra postagem. Watson aceitou como sendo melhor que nada.

Tudo porque um homem convidou-a para seu quarto no hotel, e até mesmo de acordo com Watson, ele foi bastante polido. Ela disse que ele falou "Tudo bem então, tenha uma boa noite" e foi-se, como um homem perfeitamente gentil. Eu odeio ter que vos dizer, moças: homens estão em perigo a qualquer hora em que estiveram meramente próximos de vocês. Acham que estou brincando? Exagerando? Sendo hiperbólico? Então pensem mais um pouco.

"Donglegate"[NT1]


Dois homens estavam sussurrando piadinhas entre si, durante uma palestra chata em uma convenção de tecnologia. Uma mulher, que não estava sendo abordada nem foi alvo das ditas piadinhas, ficou ofendida. Ela disparou uma campanha no Twitter contra eles. Na guerra de palavras que resultou-se, todos os três perderam seus empregos. Além disso, Roberts, a mulher que ficou ofendida, dias antes tinha de fato tweetado piadinhas de "dongle" na sua conta.

Só por causa de piadinhas inofensivas e sem vítimas entre si, dois homens perderam seus empregos porque uma mulher sentiu-se ofendida. Ela não era parte da discussão, não era alvo das piadas - de fato, nenhuma mulher era alvo dessas piadas. Eles não estavam discutindo anatomia feminina, nem mesmo estavam fazendo piadas sobre mulheres. Eles estavam entediados, em uma convenção, e cochichando um para o outro a fim de não caírem no sono.

Mesmo assim, porque uma mulher sentiu-se ofendida por uma conversa privada, fazendo o mesmo tipo de anedota que ela fez dias antes em sua própria conta no Twitter, em uma conversa que ela bisbilhotou, dois homens perderam seus empregos e foram publicamente caluniados, escorraçados e assediados.

Homens podem ser punidos por falar com você, ou mesmo por falarem próximos a você. E por "punidos", eu quero dizer, a propósito, que eles podem enfrentar sérias consequências -- incluindo perder suas carreiras -- somente por estar próximos a você. Tudo resume-se a isto.

O problema tem cinco facetas
  1. Feministas incitam intolerância das mulheres para os homens, o que acarreta mais problemas como veremos.
  2. Feministas têm pressionado por mudanças no sistema legal a fim de criminalizar homens. Isto tornou-se possível pelo espírito[NT2] que homens são malignos.
  3. Muitas mulheres não são nada confiáveis e estão perfeitamente dispostas a mentir a fim de te punir por qualquer coisa -- falsas acusações são coisa comum. E raramente são punidas por isso porque "homens são maus, mulheres são boas".
  4. Mesmo quando não acusando de alguma coisa ruim, a maioria das mulheres trata homens como lixo descartável, incluso sendo violentas contra seus parceiros só porque estão irritadas -- e elas não são legalmente responsabilizadas por tais atos. Kelly Brook bateu em dois antigos namorados na cara (soco, não tapa) e riu disso em rede nacional. Homens são maus, logo merecem ser punidos.
  5. O perigo apresentado pelo absoluto volume de mulheres que fazem coisas escandalosas a fim de engravidarem ou casarem e te colocar na berlinda por dinheiro torna bastante perigoso ter associações mais íntimas.

Testes de gravidez positivos na Craiglist, mentir sobre se está tomando a pílula, portar um alfinete para furar a camisinha, mulher guardando o 'conteúdo' do sexo oral e inseminando-se para engravidar, processar para cobrar pensão e ganhar a causa. Outra, um mês atrás, admitiu ter esvaziado o conteúdo da camisinha descartada, inseminando-se para engravidar e processar para cobrar pensão, e ganhou a causa. Homens são responsáveis pelas ações das mulheres...

Então, como agir de maneira inteligente?

Olhe desta forma, acuradamente descrita: Você está numa sala com 300 cestas de palha, e cinco delas contêm uma gema preciosa cada. O valor relativo das gemas varia, mas com cada uma delas você pode ser feliz por um tempo. Se você escolher a gema certa, pode até mesmo ser feliz pelo resto da sua vida.

Nas outras 295 cestas, porém, estão serpentes peçonhentas, de vários tipos e com diversos graus de toxicidade. Algumas causarão dor, outras causarão paralisia temporária, outras provocarão necrose e ressecarão o braço que você colocar na cesta. Algumas são fatais umas outras matam rapidamente, enquanto outras matarão lentamente e com muita dor e sofrimento.

Então, como exatamente você resolve isso e decide em qual cesta colocar a mão? Elas todas parecem idênticas... a maioria nem mesmo tem algum som audível de assovio ou chocalho.

É por isso que os MGTOWs simplesmente abandonam o jogo. A razão entre boas mulheres que valem o tempo dispendido contra todas as tóxicas que temos que deparar pelo caminho não compensa o problema com os riscos. Basta apenas uma má escolha para arruinar completamente ou mesmo exterminar a vida. Escolher qual é qual é assassinato. Escolha a errada e você será espancado, esfaqueado, mutilado, assassinado, difamado, preso sob falsas acusações, coagido a um casamento sob falsas pretensões, ou ser forçado a viver em servidão porque ainda que não haja falha nossa seremos manietados com pensões alimentícias.

Desculpe, moças, existe um monte de bons homens que estariam perfeitamente dispostos a tratar vocês direito, que simplesmente decidiram desistir e não ter nada com vocês. Não é culpa de vocês, das que merecem um bom homem; é culpa das centenas de mulheres tóxicas que um cara possivelmente tropeçará antes de você. Elas são perigosas, existem consequências potencialmente gravosas para a vida de um homem que conhece a mulher errada, ou sequer fala com a mulher errada, ou mesmo fala perto da mulher errada.

Nós sabemos que "nem toda mulher" é assim; o problema é que tem um porrilhão que é assim. Boas mulheres são exceção à regra. Alguém que tratará seu parceiro com gentileza, dignidade, compaixão, consideração; ou, merda, mesmo que apenas consiga tratá-lo com cortesia comum básica... Este não é o padrão, é a exceção.

Existem muito poucas de vós, e totalmente espalhadas, e não temos como escolher uma dentre a multidão, então a escolha do homem ou é jogar o jogo e continuar metendo a mão na cesta procurando uma gema -- apenas para ser mordido a esmagadora maioria das vezes, e esperar que sobreviva tempo o bastante até achar a gema -- ou não participar.

MGTOWs não veem sentido em jogar o jogo; as potenciais recompensas não compensam os riscos de potenciais danos e prejuízos. O jogo estão tão profundamente viciado contra nós que mesmo a finalidade do jogo - sucesso - não é uma vitória de forma alguma. Então, nós não entramos no jogo, e então vocês perdem.

Perdão, moças, mas as coisas só tendem a piorar a não ser que vocês se posicionem e apóiem os homens. Estorsão legalizada somente por viver junto, política do agressor predominante, criminalização de se falar para uma mulher não importa o quão educadamente, criminalização até mesmo de se falar perto de uma mulher. Vocês não podem casualmente ficar de lado e observar os homens sendo perseguidos e não fazer nada a não ser dar as costas e reclamar de homens desistirem de terem relacionamentos com mulheres.


Pew encontrou recente que o número de mulheres de 18 a 34 afirmando que ter um casamento bem-sucedido é uma das coisas mais importantes subiu de 28% para 37% desde 1997. O número de homens jovens adultos dizendo o mesmo caiu de 35% a 29% no mesmo período.

Os achados de Pew despertaram a atenção de um escritor americano que mantém que o feminismo, profundamente arraigado em cada segmento da cultura, tem criado um ambiente no qual os jovens homens acreditam ser mais benéfico simplesmente apartar-se da ideia de casamento completamente.

Também atestado claramemntem em "The War on Men" por Suzanne Venker:

Em resumo, mulheres estão zangadas. Elas também estão defensivas, ainda que muitas vezes sem estarem cientes. Isto é porque elas foram criadas para pensar nos homens como inimigos. Armadas dessa nova atitude, mulheres têm pressionado homens para além de seu pedestal (mulheres têm seu pedestal, mas feministas as convenceram do contrário) e escalarem a fim de tomar o que lhes foi ensinado a crer que é delas por direito

Agora homens não têm para onde ir.

É precisamente esta dinâmica - mulher boa / homem mau - que está destruindo o relacionamento entre os sexos. Mesmo assim, de alguma forma, homens ainda são culpabilizados quando o amor dá errado. Ei, homens têm sido culpabilizados desde que as feministas tomaram as ruas desde a primeira vez em 1970.

Se vocês têm ponderado sobre o que é o MGTOW, eu digo da maneira mais simples e mais verídica possível: é uma retribuição, e tal retribuição é um boicote. Homens são genética, biológica e socialmente condicionados a não querer machucar mulheres, mesmo quando são feridas por elas. MGTOW é um refúgio, um espaço seguro dentro de nós mesmos. É um protesto afirmando que não seremos desumanizados, não seremos criminalizados por termos nascido, não seremos tratados como cidadãos de segunda classe.

Por que chamar isto de retribuição? Simples. A coisa mais danosa que podemos fazer em represália ao tratamento que temos recebido é não ter nada a tratar com vocês. Esta é nossa retribuição, rejeitá-las e deixá-las à deriva, sozinhas e por si mesmas. Enquanto a punição por termos nascido diferentes continuar a piorar, vocês verão mais e mais de nós.

Mais e mais de vocês, moças, ficarão sozinhas. Se não se levantarem e agir por nós, então verão o MGTOW crescer. Este é nosso ato de desafio: Nós não participaremos de jogos centrados em vocês. Nós não prestaremos nenhuma atenção. Nós não as cortejaremos. Nós não planejaremos encontros com vocês. Nós não iremos dormir com vocês. Nós não iremos casar com vocês.

Cada vez mais mulheres terão cada vez menos homens disponíveis, cada vez mais mulheres não desfrutarão a calidez de uma companhia. Não desfrutarão de um efusivo sorriso pela manhã. Não experimentarão o afago de um abraço e de um suave beijo no pescoço. Nada de festanças de casamento, do som dos passos, nenhuma das alegrias de se ter uma família. Não terão ninguém para lhes confortar quando chorarem, solitárias, à noite. Mais de vocês, moças, estarão sozinhas. Homens são de longe mais que capazes de lidar com a solidão. Já estamos acostumados a tanto.

MGTOW é um refúgio dos perigos que mulheres representam aos homens nesta sociedade. MGTOW também é retribuição.



Em 2006, a lésbica feminista Norah Vincent foi entrevistada pelo 20/20 sobre seu livro Self-Made Man. Ela conduziu um estudo de gênero no qual ela mesma se produziu como homem por dezoito meses. Então ela escreveu sobre suas experiências. É um livro fantástico que você pode comprar baratinho. Aliás, eu o recomendo fortemente. Tem seções nele que me fizeram chorar de rir.

Próximo ao fim da entrevista, Miss Vincent disse "Homens estão sofrendo, eles têm problemas diferentes que os das mulheres mas não estão em melhor posição. Eles precisam de nossa simpatia, de nosso amor, e eles precisam uns dos outros mais que qualquer coisa. Eles precisam estar unidos".

O entrevistador então perguntou a Miss Vincent: "Você acredita que mulheres entendem como é ser um homem?".

Miss Vincent respondeu assertivamente: "Não, nem um pouco; nem fazem ideia".

Então, moças, o MGTOW é exatamente o que Norah Vincent prescreveu após passar dezoito meses vivendo como homem. É uma reunião de homens, como proteção contra aqueles que nos abusam, nos violentam, nos processam, e nos demonizam. MGTOW é uma mudança ideológica contra o fazer de tudo para servir às mulheres, e em vez disso investir nas nossas próprias vidas. Nossa retribuição é nosso protesto: um boicote. E tende a reunir mais e mais homens até que as mulheres levantem-se e lutem ao nosso lado. Até que vocês mulheres comecem a posicionar-se contra nós sermos desumanizados apenas por termos nascido diferente, vocês podem esperar o número de homens dispostos a casar decair, cada vez mais.


FootNotes:

[NT1] "Dongle" é qualquer dispositivo de encaixe/conexão, geralmente usado em computadores, a fim de liberar funcionalidades adicionais. Normalmente era usado como sistema de trava, mas hoje em dia abrange diversos dispositivos como receptores de TV, Bluetooth, WiFi etc. 

[NT2] No original, "zeitgeist", algo como "espírito da época"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Disqus for Tradutor Bastardo