segunda-feira, 10 de julho de 2017

GirlWritesWhatSelecta - 2

GirlWritesWhatSelecta - 2

GirlWritesWhatSelecta - 2

BigBigHoe

Eu nunca vi um artigo, ou um TIL [1] ou qualquer forma de história indicando que ADHs estão de fato fazendo algo e angariando fundos e organizando-se para fazer uma mudança nesses problemas. Eu apenas ouço estas questões sendo trazidas a lume pelos ADH quando eles tentam argumentar que mulheres não são oprimidas e nem são sujeitas a discriminações reais. [E]

Earl Silverman fez. Ele botou para funcionar uma linha-de-crise para homens abusados do seu próprio bolso por vinte anos. Durante esse tempo, ele conseguiu um crédito do governo de $800.

Quando ele quis abrir um abrigo, ele aplicou para o departamento de saúde e serviços humanos do governo da província (HHS; eles são o único corpo que realmente concedem fundos para essas coisas). Eles disseram que tinham que obter aprovação do ministério federal responsável pela Situação das Mulheres (SOW - status of women) antes que pudessem liberar quaisquer fundos.

Veja, no Canadá violência doméstica é considerada uma "questão feminina" e qualquer negócio do governo que possa impactar mulheres deve ser vetado pela SOW.

A SOW falou para ele ir passear. Elas disseram que o mandado delas era lidar com questões que se referem a mulheres, e vítimas masculinas não tinham nada a ver com elas - volte ao HHS provincial e pergunte lá.

Ele disse que tinha feito isso, e eles o enviaram à SOW. Eles disseram que não tinham nenhuma ordem de liberar fundos para homens. Então ele voltou ao HHS e eles lhe disseram que como a violência doméstica era considerada uma questão feminina, eles não podem liberar fundos para um abrigo masculino sem a aprovação da SOW.

Quatro anos se passaram nesse vaivém. Finalmente, em 2006 se não me engano, ele apresentou uma ação na Comissão de Direitos Humanos (HRC - human rights commission). Ele afirmou que o governo estava discriminando contra homens. A HRC é interessante, porque eles têm largos poderes discricionários (eles podem confiscar propriedades sem mandado judicial), podem aplicar multas massivas quando encontram um caso de discriminação, podem registrar estas multas em uma corte comum e neste ponto se você não vai ou não pode pagar, você vai preso, e um monte do que acontece ali não é matéria de anotação pública.

De qualquer forma, sua primeira tentativa de audiência, em estágio preliminar, ele representou a si mesmo e estava contra dois advogados: um do HHS e outra do Alberta Provincial Network of Women's Shelters (estas nobres feministas).

Eles argumentaram com sucesso que, apesar de estatísticas do governo indicarem que quase metade das vítimas de violência doméstica são homens, ele não demonstrou a necessidade de tais abrigos. E adicionalmente, desde que não existia um corpo do governo cuja responsabilidade seja financiar serviços de violência doméstica para homens, não existia nenhum corpo formal do governo para ele processar. Também, no Canadá não é ilegal discriminar contra homens. Mesmo o governo tem permissão para essa discriminação.

Earl teve sua audiência negada.

Ele não desistiu. Ele abriu um abrigo em sua própria casa com seu próprio dinheiro. Ele tentou (não muito bem, dado que ele não era entendido de internet) publicizar e obter doações. Ele estava tão desprovido de grana que teve que cobrar $20 por noite dos homens para cobrir os custos com as refeições. Mas ele fez. Ele recebeu homens, alguns deles com crianças. Ele fez isso a fim de poder rebater o argumento de que não havia necessidade. Se ele abrisse um abrigo para homens abusados e homens abusados começassem a aparecer, então obviamente havia uma necessidade. Talvez não para igual financiamento, mas para alguma coisa que seja. A província recebe dezenas de milhões de dinheiro de impostos para serviços de violência doméstica para mulheres todo anos (eu já vi algumas estimativas de centenas de milhões), e o diretor médio de um abrigo recebe seis dígitos. Earl queria fundos operantes suficientes para manter as portas de um abrigo abertas.

Ele também construiu um argumento legal que ele pensou que funcionaria, e foi uma segunda vez para o HRC.

Precedentes Jurisprudenciais são uma coisa ardilosa. Pense nisso: A Ação Judicial 1 alega que mulheres estão em desvantagem, e o querelante vence e a desvantagem é remediada. Quando a Ação Judicial 2 está sendo discutida, eles apontam a Ação Judicial 1 e dizem "este julgado claramente reconhece a desvantagem contra as mulheres". Eles vencem, ainda mais facilmente que a Ação Judicial 1, porque agora a desvantagem das mulheres é uma matéria da jurisprudência. Então paralelamente vem a Ação Judicial 3. Eles apontam as duas decisões anteriores, ambas indicando em termos inequívocos que mulheres são desprivilegiadas, e seu caso é ainda mais fácil de vencer - ainda que ambas as desvantagens tenham sido remediadas. Cada caso que as feministas têm vencido melhorou as desvantagens das mulheres, mas reforçou sua posição como pessoas desprivilegiadas diante da lei. E em razão de como a nossa Carta de Direitos e Liberdades foi escrita, isso pode prosseguir indefinidamente.

Earl estava novamente representando a si mesmo contra dois advogados nos procedimentos preliminares que determinariam se ele obteria uma audiência.

Ele argumentou que as coisas mudam. A Justiça não é uma coisa estática, é orgânica. Como uma árvore, alguns ramos secam e outros se formam. Não seria possível que as desvantagens das mulheres tenham sido remediadas tal que agora os homens é que estejam sofrendo injusta discriminação? Ele argumentou que havia uma necessidade. Ele abriu um abrigo, vítimas masculinas tomaram refúgio ali.

E novamente ele teve sua audiência recusada.

Neste ponto ele estava desesperado em ter obtido todo esse fiasco no registro público, então ele empregou o que ele chamou de "Gambito [2] Rosa Parks". Ele redigiu uma citação aonde fez uma ameaça inverossímil contra um dos advogados da oposição. Eu creio que foi algo na linha de um "Se X, eu vou arrancar sua face". E claro, ele pesquisou no Google sobre se era realmente possível arrancar a face de alguém. Ele queria ser preso. Ele queria ser processado. Porque então, tudo o que ele fez estaria nos registros públicos.

A Polícia veio e apreendeu seus computadores, todos os arquivos, cada lasca de tudo que ele fez nos últimos anos. Eles o prenderam e o processaram. E, acredito eu, no decorrer de coletarem seus e-mails e pesquisar no histórico, descobriram o que ele pretendia fazer. Os processos foram silenciosamente descartados.

Mais ou menos um ano depois, incapaz de manter os pagamentos da hipoteca, ele foi forçado a vender sua casa. No dia que o novo morador tomou posse, ele encontrou Earl enforcado na garagem.

Este cara literalmente tentou fazer as coisas. Ele enfrentou o ministério federal responsável pela situação das mulheres, o departamento provincial de saúde e serviços humanos, e advogados contratados pela rede provincial de abrigos para mulheres, bem como uma Carta de Direitos e Liberdades canadense que permite discriminação contra homens, e quarenta anos de jurisprudência justificando e reforçando isso.

Mas si. A rede de abrigos para mulheres de Alberta arrecada $250 milhões anualmente (por uma das estimativas que vi), e Earl conseguiu uma única concessão de $800 no decurso de vinte anos de advocacia e mundo real, na assistência de base para homens abusados.

Por volta de uns oito anos antes de sua morte, Earl estava numa apresentação pública chamada Alberta Prime Time discutindo acerca das vítimas masculinas. A então chefe da rede de abrigos para mulheres, Jan Reimer (que era um tipo de celebridade local) foi convidada. Ela declinou. Produtores da apresentação falaram a ele, detrás das câmeras, que ela lhes disse que comparecer para discutir sobre vítimas masculinas levaria à falsa legitimidade da noção que tais vítimas existem.

E claro, depois de sua morte, feministas saíram da toca para a mídia mainstream a fim de retratá-lo como um maluco com um parafuso solto que era difícil e hostil e simplesmente "não queria trabalhar por dentro do sistema". Que compassivo da parte delas.

-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

[1]TIL = Today I Learned - uma comunidade do reddit onde as pessoas comentam curiosidades que aprenderam por acaso.
[2]"Gambito" é como os enxadristas chamam, genericamente, estratégias de sacrifício, onde eles abrem mão de uma peça (um peão, um cavalo, uma rainha &c.) a fim de obter algo mais vantajoso no futuro (e.g. um xeque-mate ou uma peça mais valiosa).
[E]Contexto: o redittor BigBigHoe fez esse comentário, ao qual Karen respondeu com este post.

META
Autor Karen Straughan
Link Original https://www.reddit.com/r/Documentaries/comments/6b40ud/the_red_pill_2017_movie_trailer_when_a_feminist/dhkng70/
Link Arquivado http://archive.is/U0VeL

Nenhum comentário:

Postar um comentário