quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

"Destruindo a Armadilha Kafka Feminista" por August Løvenskiolds

Destruindo a Armadilha Kafka Feminista


Você sabia que as feministas pensam que zero estupros reportados significa que está ocorrendo um tremendo montante de estupro nos campi? Ou que baixas taxas de estupro militar provam o racismo? Por que as feministas pensam de maneira tão bizarra, ilógica e até mesmo pueril? Por que elas cultivam e promovem tal loucura? Algo pode ser feito para parar esse espalhamento cancerígeno de sua inanidade?

Neste artigo, eu inicio reduzindo-te a um estado infantiloide de confusão e dependência. Então eu usarei non-sequitur na forma de acusações para te convencer de que você é culpado de algo do qual você é inocente. Enquanto você se debate contra sua falsa anagnórise [1], então eu te oferecerei a mais minúscula lasca de esperança, disponível apenas enquanto você aderir a meus fracamente especificados padrões para sua salvação.

Parece divertido, não? Bem-vindo ao Introdução ao Feminismo. Bem-vindo à Armadilha Kafka.

Você pode ler mais sobre a Armadilha Kafka feminista aqui e aqui. Como você é sexista, eu sei que você vai querer ler mais sobre isso. É isso o que sexistas fazem. É isso o que você vai fazer.

Oh, que divertido - você acha que não é culpado de sexismo. O simples fato de você negar seu sexismo é prova de que você é sexista. Por que não admite isso? Por que você não avalia seu privilégio? Elimina sua masculinidade tóxica? Que tipo de monstro é você?

O patriarcado criou uma cultura de estupro usada para oprimir as mulheres, e todos os homens beneficiam-se dela às expensas do homem enquanto classe. Se você discorda disso, você é violento. Eu não estou dizendo que "você é parte disso" e que "você é idiota" porque eu quero que você mesmo chegue a essas conclusões. Internalize. Renda-se à minha instrução e perdão amáveis, somente se você for homem o bastante para admitir.

Nós não odiamos os homens apesar de todas as coisas horríveis que alegamos que eles nos têm feito. Nós apenas precisamos que os homens ensinem a si mesmos como ser melhores homens, melhores aliados do feminismo. Você sabe, pequenos escravos de cada capricho nosso.

Quase todo artigo que você ler da mão de feministas escrevendo para homens segue o mesmo script. Elas estão tentando te destruir de tal forma que elas possam te reconstruir à sua imagem (a delas). Este é um plano tomado pela perversão do crescimento da inteligência humana normal.

O crescimento social humano é marcado por transições e recapitulação de várias formas de entender o mundo. Tal qual crianças em um mundo novo e confuso nós aprendemos a procurar e confiar no amor e instrução dos pais. Enquanto crescemos, começamos a buscar apoio de nossos pares. Eventualmente, homens se tornam mais individualistas, buscando distinguir-se de outros mediante realizações. A cada novo estágio, nos rebelamos um pouco ou um muito com as autoridades - parentes, pares etc. - dos estágios anteriores.

Com cada nova experiência de vida, nós regredimos um pouco para reiterar estes passos a fim de construir novos entendimentos da nova experiência. Os primeiros dias da experiência de alguém, digamos, numa nova escola são marcados por temor e confusão enquanto procuramos aprovação e nosso lugar no mundo. Uma vez que nos tornamos familiares e então confortáveis em nossos novos cantinhos, reconstruímos nossas bases de suporte de pares ou reasseguramos nossa individualidade.

Feministas estão cientes do ciclo natural humano de usar a perspectiva de uma criança como base para manter o entendimento. Elas maliciosamente exploram isso a fim de espalhar e regular sua ideologia. Ironicamente, elas são pegas nessa armadilha, uma armadilha construída cuidadosamente e mantida pelos seus pares ideológicos.

É por isso que elas não podem tolerar questionamentos às suas crenças. Papai Noel precisa viver para sempre, e os cercados do bercinho não podem ser derrubados.

Em vez de empoderar mulheres, feministas as mantêm em confusão infantiloide tanto com seu medo de homens quanto com seus "espaços seguros" projetados para assegurar os estados mentais de fraqueza. Por exemplo, depois de Milo Yiannopoulos tentar falar na DePaul University, feministas correram para construir um espaço seguro a fim de reconstruir seu bercinho mental danificado. Enquanto censura e espaços seguros parecem maneiras bizarras de mostrar o empoderamento das mulheres, eles fazem perfeito sentido para uma seita frágil que tenta expulsar pontos de vista competidores que tenham fatos objetivos a seu favor.

Quase toda faceta do feminismo atual pode ser explicada pela Armadilha Kafka:

"Avaliação de privilégio" é uma forma de manter alguém em estado de vergonha, o que incapacita a habilidade de protestar se você é inocente de suas falsas acusações.

Mansplaining e manspreading são termos projetados para te fazer sentir-se culpado sobre miudezas imaginárias contra mulheres. Como "politicamente correto", o termo "microagressão" tem por intenção te manter cauteloso, se não paranoico, sobre tudo o que você vier a fazer. Andar na calçada em direção a uma mulher é microagressão - você está colonizando seu espaço. Evitar caminhar na calçada em direção a uma mulher também é microagressão - você está implicando que ela seja imunda demais para se estar perto. "Sexismo" é um crime tão abrangente e mal definido que tudo pode ser chamado de sexista exceto quando uma mulher o faz - mesmo que esta não seja uma definição de dicionário do sexismo.

Destruindo a Armadilha Kafka

Prevenção é a melhor maneira de frustrar a armadilha. Artigos como esse servem como uma espécie de inoculação - se você sabe sobre a Armadinha Kafka e pode reconhecê-la quando alguém a usa em você, você está naturalmente menos vulnerável a ela. Tiros intensificadores regulares de razão e invectivas contra o feminismo são necessárias a fim de manter a guuarda ativa, o que é a razão por que eu escrevo não muitos artigos engajando as fraquezas do feminismo.

Mesmo que eu apoie a igualdade legal entre gêneros, eu resisti com sucesso à Armadinha Kafja negando repetidamente a acusação que eu era sexista. Quando eles reclamaram que minha negativa era prova de meu sexismo, eu então neguei que era uma borboleta, e perguntei se isso me fazia uma borboleta. Isto fez meus acusadores feministas cada vez mais furiosos ao ponto de tornarem-se fisicamente abusivos. Eu permaneci imóvel. Eu finalmente fui expulso de seu espaço - um homem recalcitrante que apoiava a igualdade era uma ameaça grande demais para seus paradigmas.

A campanha presidencial de Donald Trump mostra outra forma de destruir a armadilha - quando alguém tenta difamá-lo com acusações de alguma maligna misoginia, ele ataca com o dobro de vigor de seus atacantes, geralmente de formas ainda mais bizarras que seus atacantes usam contra ele. A multidão aplaude - eles sentem as gavinhas da armadilha e ficam impressionados com o poder de um homem que revida com tão violenta perícia. "Este é o homem que eu quero para presidente", pensam eles.

É possível que uma feminista pega na Armadilha Kafka escape? É raro, mas acontece. O nascimento de uma criança, em especial de um filho, pode dar à feminista uma nova perspectiva que faz seu ódio anterior contra homens soar vazio. (É por isso que feministas são tão agudas sobre o aborto, e mesmo celebrando abortos - matar bebês defende e reconstrói as muralhas da armadilha.)

Pode uma contra-armadilha à Armadilha Kafka ser criada? Não tenho certeza, mas imagino que seja possível. Já sabemos que a feminista é vulnerável a argumentos bizarros, circulares e não-falseáveis. Empurrar tais argumentos ainda mais até o buraco negro do absurdo no território emocional pode, penso eu, despedaçá-las.

Por exemplo, no último outono a hashtag do Twitter #ShoutYourAbortion deu às feministas a chance de crocitar sobre matar seus filhos. Celebrar tal decisão horrível já é bem maluco, imagine então um homem tentando convencer uma mulher feminista que eles deveriam fazer sexo a fim que ela também possa "gritar seu aborto". Se ela declina, ele utiliza a Armadilha Kafka e exige que ela avalie seu privilégio. Ela é mesmo feminista? Ela tem a chance de tornar-se uma vítima de estupro e uma encorajadora em primeira mão do aborto. Que feminista de verdade resisitiria à chance de patrocinar questões das mulheres?

Isto é um absurdo, obviamente, e este é o ponto: a esperança é que em algum ponto a deliberada suspensão de descrença das feministas colapsará, e elas experimentarão a anagórise [1] - algumas vezes chamada de "momento da pílula vermelha" - por si sós.


Notas
[1](1, 2) Anagnórise: do grego "ἀναγνώρισις", "reconhecimento": um recurso de narrativa, no qual um personagem descobre detalhes essenciais de sua identidade, de entes queridos ou em sua volta, que estavam até então ocultos. Esta revelação altera a conduta e obriga o persoganem a formar uma nova ideia mais exata de si meso e de sua situação.

META
Título Original Destroying the feminist Kafka Trap
Autor
August Løvenskiolds
Link Original https://www.avoiceformen.com/feminism/feminist-lies-feminism/destroying-the-feminist-kafka-trap/
Link Arquivado http://archive.today/BOZs3

Nenhum comentário:

Postar um comentário